quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Um grande desastrado

Às vezes parece que tudo o que faço sai ao lado, grande ou pequeno, abrir uma caixa de chocolates ou marcar um encontro, as coisas fogem sempre do que tinha planeado. Sou um desastrado, infelizmente, tenho de me habituar a viver com o facto de que a melhor maneira de fazer algo e a minha maneira são coisas diferentes.

Mas pelo menos hoje fiquei a saber que há um individuo que consegue ser ainda pior do que eu, e isso já ajudou a levantar a moral um pouco, obrigado soldado Chinês desconhecido e desastrado!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Pintura Coreana e bichos Indianos

Dezembro passa com natal e festejos e mais dois postais vêm ter aqui, desta vez temos...

Uma pintura feita à mão da Coreia, alguém pegou num pincel e fez o postal inteiro, magnificamente artesanal e primitivo, esse trabalho todo para mim? Obrigado Coreia!


E da India chega uma compilação de bichos locais, animais exóticos entregues à minha porta! Obrigado também.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Quando a vaca secreta ataca!

Encontrei isto nas noticias, depois de uma longa luta os habitantes de uma cidade americana finalmente conseguiram capturar uma vaca infiltrada.

Sim, uma vaca esperta e perita em missões secretas, andava pela cidade à noite de maneira a que alguém pudesse ouvir os cascos, deixava bosta nos relvados para ser encontrada de manhã, esperava o tempo suficiente para que um habitante lhe visse o rabo antes de desaparecer...

Esta bovina talentosa e maquiavélica divertiu-se com jogo psicológico elaborado à custa da cidade inteira. Resistiu a todo o tipo de planos para a capturar, biscoitos como isco, mp3 de mugidos de vaca, câmaras de infravermelhos, os cidadãos, a policia, os peritos, todos falharam. Até a descoberta do bezerro escondido dela acabou com uma fuga rocambolesca da cerca onde a queriam deter.

Isto até esta semana, a incrível vaca secreta foi finalmente capturada, e dizem que está disposta a trocar a sua vida de aventuras por uma quinta sossegada...

Mas por quanto tempo?

Estejam atentos ao som dos cascos lá fora na noite escura...

http://news.yahoo.com/blogs/sideshow/ninja-cow-beguiles-nebraska-town-162519267.html

domingo, 18 de dezembro de 2011

O que irá o Ronaldo pedir ao pai natal?

Natal daqui a uma semana, altura para fazer uma pausa no trabalho, comer uns doces, descansar... É um período de festa, e nestes dias vamos ser um pouco mais extravagantes porque temos o resto do ano inteiro para ser normais.

E presentes, às vezes recebemos outras oferecemos algo a nós próprios, não importa bem o quê, paramos para ver se haverá algum sonho ou pequena extravagância ao nosso alcance, talvez, quem sabe?

E estava a pensar nisto, quando me lembrei do Cristiano Ronaldo e a pergunta surgiu, o que irá ele pedir ao pai natal? Ela parece parva, é verdade, mas afinal tem filosofia por detrás.

Temos aqui alguém que tem tudo, com o que é que ele sonha? Tão jovem e já está no topo, será que ainda tem desejos?

É rico que se farta, pode ter tudo a qualquer altura do ano, o lado material está tratado. Objectos de luxo, mansão grande em localização estupidamente cara, carro super veloz desenhado para mostrar a massa do dono, ele só tem de querer.

Bom, há mais coisas para além do material, não são o género de coisa que venha num embrulho com fita, mas sempre são desejos...

Saúde? Perfeitamente saudável, a correr pelo campo sem problemas, por aqui também não é.

Amor? Questões sentimentais? A namorar uma modelo, caso encerrado. E se ela o deixa, ele continua a ser rico que se farta, isso dá a volta à cabeça a bastantes pessoas, de maneira a que há de haver sempre alguém que se não gosta dele se esforça para fingir muito bem.

O homem que tem tudo, com o que é que ele sonha?

domingo, 11 de dezembro de 2011

Motas Russas, cabritos Americanos, carro Holandês, arquitectura Alemã

Inverno, um bando (ou manada, ou alcateia?) aterra, talvez a fugir da neve lá no estrangeiro? Se os patos e outras aves migratórias fazem isso porque não o postal que também é uma criatura que viaja?

A Rússia manda o tradicional motocross folclórico dos Urais. Parece animado, se um dia passar por lá talvez pare para ver.


A América, cabritos do estado do Indiana, muito afectuosos, se calhar apaixonados até, uma história para aqueles filmes românticos? "Amor de ruminação"?


Um carro da Holanda com desejos de boas festas, obrigado Holanda.


E a Alemanha deseja boas festas também com a sua arquitectura, parece bonito e...
Não podem emprestar um bocadinho dessa neve, por favor? Prometo que a devolvo depois do Natal...


Que vistas e bicharada de lugares distantes virá a seguir?

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Eu quero o meu mamute!

Encontrei uma noticia na Web diz-me que um grupo de cientistas Russos conseguiram recuperar genes de um osso de um mamute congelado, e mais, dizem que o podem clonar um dia, talvez até dentro de 5 anos.

Uma espécie de "Dolly" então, só que maior do que um elefante presas enormes e muito mais majestoso e impressionante. Imaginem, primeiro um como curiosidade num Zoo ou laboratório, e depois manadas deles.

Começo a imaginar como seria e chego a uma conclusão curiosa, eu quero realmente que isto aconteça, quero vê-los na televisão, no zoo, comer uma costeleta do bicho (imaginem o tamanho!), usar uma camisola de lã de mamute, enfim ver este sonho idiota ser realidade.

E sei que é um sonho idiota, saído de um filme ou banda desenhada, gastar dinheiro a trazer animais extintos de volta....

Mas é por ser idiota que fico desapontado por não acontecer, não podemos ter os sonhos importantes, o futuro é austeridade até ao fim, sempre a piorar, sempre mais pobres, nunca vamos erradicar a doença nem alimentar toda a gente, nem sequer vamos ter um bom nível de vida para a maior parte da população dos países mais ricos.

Se não podemos ter esses sonhos "grandes", então por favor, um dos "pequenos"? Um idiota, como este de ter uma espécie de elefante peludo? Pelo menos é uma coisa que daqui a uns anos podemos dizer que fizemos, que não foi cortada, abandonada, "austerizada", algo que não nos vai fazer olhar para trás e pensar "tinha melhor no meu tempo".

Um pouco de progresso, nem sequer tem de ser numa direcção útil ou importante, apenas progresso, por favor.

http://news.discovery.com/animals/woolly-mammoth-cloned-111205.html

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Paradoxo económico-natalício

Acabei de ter agora mesmo um flash de inspiração quando estava a pensar na época Natalícia que está a chegar...

Normalmente as cabeças pensantes economistas julgam a economia pelo dinheiro gasto nesta época, se não se compra muito foi um mau ano, temos de consumir como bons consumidores amantes do mercado livre que somos, é nosso dever gastar!

Mas por outro lado as cabeças pensantes economistas dizem agora que é obrigatório haver austeridade, morte as subsídios de natal, corte nos salários e no número de funcionários públicos, abaixo o endividamento e toca a viver dentro das nossas possibilidades!

E agora pergunto-me, que via irão seguir este ano? Será que se vão lamentar da má época natalícia com o lado esquerdo da boca e elogiar o apertar do cinto com o direito? E a malta das agências de rating? Desce porque não há actividade económica ou sobe porque há austeridade?

Ou será que lhes explode a cabeça com a contradição?

domingo, 4 de dezembro de 2011

Aquela altura...

Devia haver uma palavra para descrever estas alturas, acontece muitas vezes, quando pensamos que não escrevemos há algum tempo e não temos assim ideias logo à mão. Normalmente acontece antes de ir dormir, num fim de semana em que até estávamos com um pouco de sono há uma hora atrás mas ficámos acordados, não sabemos bem porquê.

E ficamos a filosofar com a ideia de que há algo mesmo, mesmo a sair, só mais um minuto antes de desligar o computador, afinal é fim de semana, e com o mais um minuto acabamos por nos enganar até muito depois de quando estávamos a pensar desligar.

E no fim disto tudo acabamos por decidir que não sai nada, e normalmente vamos é dormir.

É preciso um nome para isto...

Inspiparagem? Escrisono? Espepalavra? Palapendente?

Bom, o melhor mesmo é ir dormir sobre o assunto

sábado, 26 de novembro de 2011

Os matraquilhos finórios na Eurosport

Noutro dia estava a atravessar o Colombo a caminho do almoço quando reparei numa coisa curiosa na TV numa loja, na Eursport estava a dar um jogo de...

Matraquilhos! Está bem que estavam todos sofisticados debaixo de um nome do género "Interational Table Soccer World Cup" e uma mesa "high-tech", com público nas bancadas e os "atletas" a usar luva especial, mas eram  mesmo matraquilhos.

E com uma pesquisa rápida no Google confirmo que não imaginei coisas, até já há federação internacional deste desporto em http://www.table-soccer.org/.

Bem vindo ao século XXI, os matrecos agora são coisa séria e atlética, para onde iremos a seguir, qual é a próxima coisa a levar o tratamento "finório"?

O berlinde Olímpico com medalhas e recordes apropriados? E organizado por tamanhos de berlinde, já agora, grandes, médios e pequenos, e feitos por escravos Chineses com os materiais mais avançados para a Nike, como o resto do material desportivo de ponta.

O tremoço gourmet servido em restaurante de luxo com garrafa de vinho a acompanhar sugerida pelo escanção? E comido com talher especial, porque nestas coisas de comida fina não se nunca a mão independentemente do que se come (hábito pretencioso e pouco prático, eu sei, mas o que se há de fazer).

Onde isto irá parar?

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

O chapéu de chuva inquebrável

Descobri que uma empresa vende um chapéu de chuva inquebrável. Farto de chapéus fracotes? Este é o ideal, capaz até de aguentar com o seu peso se subir para cima dele, não percebo bem a utilidade desta parte, mas é uma das coisas que mostram no video para o promover.

E isso não é a única coisa peculiar aqui, a companhia que vende este super chapéu de chuva apostou na auto defesa para a promoção, atacando melancias e sacos de boxe no video. Esperam que as pessoas comprem esta invenção para malhar no primeiro ladrão que as abordar.

Bem, parece um pouco estranho como motivo principal para o comprar, será que os criminosos se vão por a jeito para levar com o chapéu? E o que fazer nos dias de sol?

Mas temos de ver a coisa pelo prisma do fulano que inventou isto, criámos o nosso super chapéu de chuva, incrivelmente forte, mas terrivelmente caro também, como é que vamos vender isto?

É mais resistente que os vendidos na loja Chinês, certo, mas a este preço as pessoas compram chapéus chineses durante uns anos...

Aguenta o peso de uma pessoa, por isso pode ser usado como ponte improvisada, para quem encontra precipícios ou rios incrivelmente estreitos pelo caminho? Não, isso é não é muito vulgar...

Alavanca para mover objectos pesados? Não, também é muito raro precisar de resgatar uma cria de  orangotango de debaixo de uma rocha no caminho para o trabalho (pelo menos para mim é)...

Ferramenta para abrir furos nas paredes? Não, faz muito barulho, suja tudo, as pessoas do outro lado ficam irritadas e depois é uma chatice para espreitar...

Bem, resta o uso mais evidente, malhar em coisas, como os tigres são raros no género de sítios por onde a maior parte dos clientes passa (e falo por experiência própria, é muito pouco vulgar ver um tigre no comboio da linha de Cascais) o alvo vão ser os marginais, assaltantes, carteiristas, é um chapéu de auto defesa, então!

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Abóboras Russas e Poemas Chineses

Mais chegadas de terras distantes. Estes dois vêm de longe e fizeram as viagens mais longas que já vi até agora, com pouco mais de 20 dias cada uma!

Grandes aventuras pelo caminho? Carteiros atacados pelas marmotas na estepe Russa? Greve dos correios? Quem sabe?

A Rússia manda abóboras muito "dia das bruxas", com um poema atrás, obrigado, obrigado.


E a China, outro poema, este para dar felicidade, obrigado China, agora podias por favor mandar uns contentores cheios disso para cá? O nosso abastecimento de felicidade tem andado um pouco em baixo, em troca mandamos austeridade que temos muita, e olha que é austeridade de grande qualidade, extra forte, ok?

domingo, 13 de novembro de 2011

O maravilhoso sentido de humor da força aérea Alemã

Ok, isto é uma personagem de um desenho animado qualquer todo fofinho, bonitinho e tão açucarado que até dói, à partida não é nada por aí além...


A não ser quando aparece numa base da força aérea na Alemanha!


Bem, podemos ir dormir descansados, a Europa vai por água abaixo, mas se um dia se lembrarem de nos bombardear por causa das dívidas vai ser por pessoal porreiro com jeito para o desenho e que aprecia uma brincadeira de vez em quando. Se calhar até temos direito a uma piadinha no nariz da bomba, porreiro...

domingo, 6 de novembro de 2011

Como os astros realmente funcionam

Noutro dia estava a folhear uma revista e calhou cair num horóscopo, estas coisas dos astros até são engraçadas quando percebemos como funcionam.

No centro de tudo está um truque ao mesmo tempo simples e esperto. Em princípio devemos olhar para o nosso signo e ver que  algumas coisas parecem aplicar-se vagamente ao que se passa conosco...

Agora, olhando para os outros signos  descobrimos que todos "encaixam" igualmente com o mesmo esforço de imaginação. O truque é escrever coisas genéricas que todos vivemos no dia a dia, "um momento de oportunidade na vida profissional", "uma altura para reforçar os laços afectivos", todos passamos por alturas que podem ser isso a qualquer altura, são coisas terrivelmente comuns.

Por isso qualquer previsão serve, seja para o signo do Leão ou do Ornitorrinco, não há preocupações, pode-se escrever uma pilha delas para o ano inteiro, baralhar e ir tirando um punhado para publicar todas as semanas.

E tudo isto porque no fim é a nossa imaginação que faz a maior parte do trabalho a partir da sugestão original. O processo é ao mesmo tempo simples e frágil, é como um jogo entre nós e quem escreve (ou puxa cartas, ou espalha búzios, ou lê as entranhas do peixe), enquanto os dois seguem as "regras" corre como previsto, mas dando um passo mental para o lado e olhando de outro ângulo as coisas seguem direcções inesperadas.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Pantera de Colónia, pinguins Finlandeses, cidades distantes

Mais postais, as pessoas adoram esta coisa de comunicar primitivamente, e desta vez temos...

Colónia, com o seu postal de pantera para me mandar um autocolante da cidade, obrigado.


A Finlândia manda pinguins, naturalmente, terra de gelo, terra deles.


Den Haag mostra a cidade, olhem para nós, temos esplanada, venham tomar qualquer à beira do rio.


Dusseldorf mostra a cidade também, com as vistas a assegurar os potenciais turistas de que sim, temos pontes e ruas por aqui, e sim, o sol também se põe e funciona direitinho.


E Barcelona manda uma casa de Gaudí toda artística.


E por agora é isto, a colecção cresce, o que virá a seguir?

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Homem morto até à morte!

Momento divertido-filosófico no noticiário de uma cadeia de televisão qualquer... :)


HOMEM MORTO ATÉ À MORTE, dizem eles, presumo que então tenha sido uma morte matada, ou talvez não, às vezes o destino prega partidas. Mas seja como for, o que importa é que neste caso a morte foi fatal, como na maior parte dos casos.

E assim os espectadores saem mais cultos, com perguntas filosóficas a estimular a mente. Será possível matar e deixar o sujeito vivo? Estar morto implicará morrer? Porque é que não vemos mais destes momentos "zen" nas nossas tvs em vez das mesmas tretas sisudas de sempre?

terça-feira, 18 de outubro de 2011

A energia das pessoas

http://www.bbc.co.uk/news/technology-15305579

Chega de procurar uma tomada para carregar o telemóvel, estão a preparar uma engenhoca que extrai electricidade a partir do corpo humano, basta ela estar implantada e parte da glucose e do oxigénio a andar dentro de nós são transformados em energia, se calhar temos de comer mais uma sobremesa para equilibrar as coisas, mas isso não parece uma grande desvantagem, pois não?

E em troca dessa sobremesa extra, vantagens, para o começo implantes e instrumentos médicos que não precisam de baterias, depois podem vir órgãos artificiais para substituir rins, corações e etc que falham, e depois , talvez, membros.

Um conjunto de pernas "Hi-Velox" para continuar a correr em qualquer idade? Crânio com leitor de MP3 incorporado para ouvir música sempre que quiser, braço com telemóvel para falar sem precisar de o procurar? (o telemóvel, não o braço)

Bom se calhar isto acaba só por ter uso medicinal, mas sempre posso sonhar com a oportunidade de melhorar esta carne e osso falível um dia destes.

Um sonho louco e um pouco parvo, mas é melhor do que andar a pensar na austeridade que nunca mais acaba que nos andam enfiar pela garganta abaixo...

E já agora espetar estas coisas naqueles ladrões e recuperar um pouco do que gastamos com eles? Para cada politico ou quadro superior de empresa pública, um conjunto de geradores proporcional ao salário e às regalias, fantástico...

sábado, 15 de outubro de 2011

Arte Polaca, Perdiz da Califórnia, Paisagem Holandesa

Ok, vamos ver o que o mundo deixou na minha caixa de correio esta semana...

A Polónia manda um quadro bastante macabro para depois compensar com um smiley na parte de trás, simpática.



A Califórnia (a viver feliz com os seus 3 canitos),  flores e uma perdiz num estilo "very Americano".



A Holanda dá uma paisagem e diz que gostou de passar por cá e da nossa comida deliciosa! Obrigado, tentamos fazer o nosso melhor, pelo vosso estômago e o nosso... ;)


E pronto, que curiosidades virão da próxima vez?

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

A utilidade de um telemóvel moderno

Há bastante tempo troquei de telemóvel e na hora de escolher decidi fazer uma pequena loucura e comprar um Android, acesso à internet. e-mail e a promessa de poder instalar toneladas de aplicações, "Muito bonito, mas será que vou precisar mesmo disto?", pensava eu na altura.

Bem, depois deste tempo topo tive a resposta, reparei um ponto mais brilhante do que os outros no céu nocturno nestas últimas noites, seria uma estrela ou outra coisa qualquer? Qual seria o nome dela? Infelizmente a astronomia não é o meu forte e não sei identificar as constelações de cor, parecia que não ia conseguir resolver este pequeno mistério...

E hoje lembro-me de que tenho uma aplicação que mostra os objectos no céu na direcção para onde aponto o telemóvel,  já a usei algumas vezes, vamos apontar para este ponto misterioso então, e o resultado é...

Júpiter! Afinal não é uma estrela, tinha estado a olhar para o maior planeta do sistema solar sem saber. E já agora aquele ponto mais fraquinho atrás de mim é Vega, fantástico.

E pronto, quando alguém quiser saber a utilidade destes iPhones e Androids com depósitos de aplicações à disposição, aqui está a resposta. Precisamos deles porque nunca sabemos quando vamos querer identificar os corpos celestes à nossa frente, se não fossem eles agora estava a ir dormir na ignorância do que estava ali a brilhar.

Ou saber o tempo de gestação de um Gerbo, ou descobrir o caminho para um restaurante escondido, ou medir a inclinação de uma mesa, ou calcular quantas calorias gastámos com a corrida para o comboio...

Tudo tem um uso, nem que precisemos de um pouco de imaginação e pensamento lateral para lá chegar.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Entrega especial da Filândia

Bem, depois de se enviar, recebe-se, aqui está o primeiro a chegar, directamente das terras geladas da Filândia (Ok, provavelmente o gelo ainda não chegou e são só terras frescas, mas é uma ocasião especial, podemos ser um nadinha dramáticos, não?).

O que importa é que é um pequeno pedaço da Filândia que viajou 3368 quilómetros até à minha porta, bravo!


segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Crise

Tempo de crise, e não é da Madeira, a "bomba" caiu na Sexta, confirmou receios que julgava serem só parvoíce minha e enterrou um conjunto de sonhos que pareciam não ser fáceis mas possíveis.

Bem, agora é que eles não vão acontecer mesmo, é espantoso como estas coisas acontecem rapidamente, alguns minutos, algumas palavras e uma pessoa empurra-nos para fora dos planos dela.

Bem, chega de escrever sobre tristezas, em parte porque não vais precisar de blog para te lembrares desta, em parte porque desta vez algo diferente está a acontecer...

Estou a dar por mim a pensar em alternativas, saídas, caminhos para seguir em frente, e há sinais de que eles existem, se uma pessoa nos empurra para o lado outra pode tomar o lugar dela, não sei se é por estar mais confiante do que quando comecei a escrever ou se simplesmente fiquei cansado de me preocupar tanto, talvez os dois.

Bom, amanhã é outro dia, alguns momentos ainda são difíceis, mas avanço de qualquer maneira, final feliz ou não.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Vamos ajudar a Líbia?

De manhã vi uns minutos das noticias enquanto acabava de mastigar o pequeno almoço e descobri que temos uma euro-deputada na Líbia com os rebeldes, e a senhora aproveitou para pedir que ajudem e apoiem os  Líbios, eles estão aflitos, precisam de nós, agora é a altura, por favor ajudem estes rapazitos tão simpáticos, etc. etc.

Bem, primeiro pensei que ia ficar um pouco desapontada, estamos pobres, à rasca, se calhar nós é que ainda vamos precisar de ajuda...

Mas depois tive uma ideia luminosa, nós podemos ser pobres em dinheiro e outros bens materiais mas temos outras coisas para oferecer...

Primeiro, amigos Líbios, gostaram da senhora? É simpática não é? Pois podem ficar com ela! E com os outros parecidos que temos lá em Bruxelas, mais um parlamento inteiro e um presidente que temos aqui, estão todos à vossa disposição, é só chegar e levar. São políticos usados mas funcionam lindamente, beijam criancinhas, cortam fitas, destapam placas, mentem com quantos dentes têm, se acham que precisam de alguém para "politicar" no vosso novo país são todos vossos.

E se não tiverem muita necessidade de discursos e inaugurações, não se preocupem, tenho a certeza que com um pouco de persuasão eles hão de servir para alguma coisa, nem que seja para varrer a rua e carregar os tijolos para reparar os estragos.

Bom, mas temos algo ainda melhor do que isto para oferecer, a resposta para todos os vossos problemas de dinheiro!

Numa das nossas ilhas vive um individuo chamado Alberto João Jardim com um talento muito singular, ele suga dinheiro, não sabemos exactamente como, talvez tenha alguma técnica de hipnotismo ou talvez seja muito bom a arranjar fotos comprometedoras, mas a verdade é que nunca lhe fecham a torneira, não importa o que ele faça.

Vocês só têm de o pôr no governo, escolher um vizinho mais rico e é uma maravilha, ele saca-lhes dinheiro e depois ainda goza com eles, chama-lhes nomes enquanto os suga e eles sempre a sorrir e a dar.

Só há um pequeno problema a ter em atenção, depois de instalado ele já não sai facilmente, é para durar o resto da vida, mas o dinheiro que ele vai sacar deve compensar isso.

E pronto, digam lá se não é melhor ajuda do que o dinheiro que não temos?

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Comunicações primitivas divertidas

Há algum tempo lembrei-me de me inscrever no http://www.postcrossing.com/, a ideia é contribuir para uma "pilha" de moradas, assim quando nos apetece escrever é só pegar num postal e pedir um destino ao site.

Bem, há alguns dias veio a boa noticia por email, chegou ao destino um dos meus, um bocado de cartão ilustrado atravessou o mundo até à Malásia guiado por meia dúzia de palavras e um selo.

É primitivo, papel físico com palavras escritas a tinta e um selo colado, já não é preciso lamber o selo mas ainda é algo que parece ter sido herdado de épocas passadas, uma mensagem que vai demorar dias em vez de segundos, e viaja e é entregue em mão, seja carrinha dos correios, avião, navio, o que importa é que alguém foi pegando naquilo e transportando estes quilómetros todos.

E no final o destinatário fica com uma recordação da aventura...



E este palavreado todo porque não preciso de pôr coisas no correio há tempo que se transformou numa pequena aventura, numa diversão , vivemos realmente num mundo electrónico.

domingo, 18 de setembro de 2011

Agora, isto é que é cinema!

Já vi praticamente todo o género de filmes, do dramático à comédia, erudito ou idiota, parado ou movimentado, maus,  mais ou menos ou bons...

Mas raramente vi algo tão divertido quanto isto...

Elefantes brancos

Há alguns dias atrás vinha um sujeito no comboio a conversar muito entusiasmado sobre as pirâmides de Gizé, a perguntar-se como os antigos Egípcios tinham construído aquilo e porquê, dizia ele que tinha de haver algo de misterioso por detrás delas.

Já encontrei estas ideias antes, livros, filmes, conversas, algumas pessoas pensam que tem de haver um motivo para que se tenha gasto tanto esforço naqueles monumentos, são enormes, o que levou os construtores a arrastar aquelas pedras todas?

Bem...

A reposta afinal não é tão esotérica ou rebuscada quanto se pode pensar, e não é difícil de perceber depois de nos lembrarmos que foram construídas por pessoas que podiam viver numa sociedade diferente mas no fundo eram tão estúpidas ou tão inteligentes como nós.

Há pouco tempo apareceu uma noticia sobre como uma das nossas cidades tinha um belo estádio que tinha custado uma bela fortuna para o Euro 2004, e que agora está vazio, está ali plantado e as pessoas perguntam-se porque é se achou boa ideia gastar tanto naquele mono.

É um elefante branco, é o que os aqueles gigantes de pedra são, algo que parece muito impressionante quando é feito, que faz as pessoas sentirem-se inchadas na inauguração, "Olha para aquilo", "O maior não-sei-das-quantas do mundo!", e que depois afinal não tem assim tanto uso quanto se pensava, afinal não há assim tanta gente para assistir aos jogos, o monumento afinal não precisava de ter aquele tamanho todo para comemorar o faraó...

Não são necessariamente maus, as sociedades também precisam de sonhar um bocadinho de vez em quando, mas são coisas que sempre existiram e sempre vão existir, nós já temos os nossos, prontos para as gerações futuras gastarem a cabeça a pensar porque é que enterrámos tanto esforço naquelas bancadas?

sábado, 10 de setembro de 2011

Protejam-se!

Os media já andam às voltas com o 11 de Setembro há um bocado, nesta altura do ano há sempre uma estação de rádio, ou tv, ou jornal, ou revista a falar de terrorismo e torres gémeas, está a tornar-se uma tradição.

Bem, não costumo prestar muita atenção a essas coisas e não costumo andar a pensar que caixa de cartão na beira da estrada pode ser uma bomba, mas posso entrar no espírito da "ocasião" com estes filmes encontrados no YouTube no outro dia. Foram feitos para o caso da guerra fria passar a "quente" mas as explosões continuam a ser explosões, venham de soviéticos ou terroristas. Ok, certo, é muito mais improvável que os terroristas arranjem um "brinquedo" nuclear mas de qualquer maneira dão material para fazer umas pipocas e aumentar um pouco a nossa cultura nas noites de inverno que hão de vir.

Vamos lá aprender como sobreviver a uma explosão nuclear, então. Pelo que já vi, o primeiro passo parece ser saltar sem hesitar para o abrigo mais próximo, e pelos vistos é o mais importante disto tudo, o que faz sentido, vai haver radioactividade, mas para nos preocuparmos com ela temos de evitar morrer estupidamente com um tijolo em cheio na cabeça ou algo parecido. Para além disso ter algo entre nós e a explosão pode impedir que acabemos esturricados com o calor ou cegos com o clarão.

E pensando bem, essa é a grande lição destes filmes, não deixar que as preocupações "high-tech" nos façam esquecer das coisas simples e directas, a radiação pode ser assustadora e ter a atenção toda, mas o tijolo a voar (ou o banco de jardim, ou a máquina de lavar, ou a vaca...) pode ser tão mortal quanto ela, ou mais.

E da próxima vez que alguma "cabeça pensante" disser na tv que estamos em perigo e temos de recear a ameaça do dia, não deixar o medo tomar conta e recordar que há algumas décadas o mundo funcionava lindamente com a possibilidade das bombas começarem a cair amanhã...







quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Japonesices

Tinha pensado em escrever alguma coisa sobre a maneira como a economia anda a dar a volta à nossa cabeça, mas agora que estou a transformar as ideias destes dias antes de ir dormir já não estou com muita vontade, é deprimente, já está em todo o lado e de qualquer maneira não há muito para dizer além de "Eles comem tudo e não deixam nada", fica para outra altura.

Bom, vou é usar este momento para pensar em algo capaz de me animar, algo como...

Ideias japonesas, eles têm assim uns processos mentais desviados uns graus do resto do mundo, ora vejam...

Vamos supor que uma empresa quer um produto novo para festas e casamentos, agora pensem bem, o que é que as pessoas gostavam de fazer no casamento?

Atirar ursinhos de peluche aos convidados, "naturalmente"! ("naturalmente" para eles, é isto o que eu queria dizer com os processos mentais ligeiramente desviados)

Mas depois deste salto mental acrobático tudo cai no lugar com a sua lógica muito própria. É claro que os ursos vão precisar de para-quedas para descer em condições e fazer uma boa aterragem nos convidados, é óbvio que lançar o urso à mão não vai ser muito cómodo, por isso a nossa empresa vai pôr no mercado...

 

 Uma pistola de ursos de peluche pára-quedistas, prontos, apontar, divirtam-se!

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Os anjos nas nossas tripas

Teorias, ideias, explicações, gostamos sempre de "juntar os pontos", de fazer ligações entre as coisas que vemos, de inventar histórias por detrás das coisas, é natural, e é divertido juntar as peças do "puzzle", especialmente quando as conseguimos juntar numa forma invulgar para fazer o nosso próprio "puzzle", melhor do que o original...

Há algum tempo fiz uma leitura rápida de alguns blogs e havia um em que autora descrevia como o seu "anjo da guarda" lhe dava indicações e momentos de felicidade e paz, etc, etc.

Em principio não há nada de especial nisto, afinal gostamos das nossas explicações romantizadas, pegamos em acontecimentos e coincidências, em ideias que calham vir ao de cima na nossa cabeça e fazemos então o "puzzle". Pomos uma camada de pintura mais apelativa por cima do comum e do normal.

Até agora nada de especial, mas mais tarde vou dar uma vista de olhos pelas noticias e...

Encontro um artigo que fala de como certas bactérias nas nossas tripas poderão possivelmente afectar o nosso estado de espírito, pelo menos já se determinou que reduzem a ansiedade e o stress nos ratos de laboratório, dão-lhes paz, tranquilidade.

http://news.sciencemag.org/sciencenow/2011/08/mind-altering-bugs.html?ref=hp

Espera aí...

Um "anjo da guarda" que traz paz, bactérias que reduzem a ansiedade...

E juntei as duas peças do "puzzle", temos "anjos" realmente, microscópicos e com ar muito pouco angélico, a tornar o nosso cérebro mais tranquilo e menos problemático.

Pensando em todas as pessoas ao longo da história que disseram ter ajuda "superior", todas as revistas e livros e filmes e programas de tv a falar dessas coisas, era fantástico se tudo isto afinal fosse o trabalho de uma boa "tripulação" de bactérias embarcada dentro de cada um, como um navio com bons marinheiros a manter os motores a funcionar em pleno.

Vivam as bactérias, amanhã ao almoço faço um brinde às minhas...

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Um filme como nunca viram!

Há muito tempo atrás ouvi falar de um cineasta Português que tinha feito algo único, um filme sem imagens! Hoje lembrei-me dele e depois de uma pesquisa rápida no YouTube...



Bem, já posso dizer que vi um bocadinho de uma das nossas obras de arte, feita por um dos nossos génios do cinema (são os entendidos que dizem, e quem sou eu para discutir a estas horas?).

E financiada pelos nossos bolsos, quando alguém nos perguntar o que Portugal deu ao mundo de novo sempre podemos dizer "O filme sem imagem" e ver a cara dele enquanto tenta agarrar a originalidade da ideia como um boi a olhar para uma bicicleta de rodas quadradas.

Boa noite e bons sonhos, mas com imagem...

sábado, 20 de agosto de 2011

Um dia o mundo vai...

Aqui está um homem que luta por uma causa, nunca lhe falta a coragem, nada o faz parar...

Deixou o emprego, vendeu tudo o que tinha, até a aliança da esposa, saiu de casa para viver num carro, quando o video foi feito já tinha dedicado 26 anos à sua visão, durante anos não teve nada para que fosse uma realidade.

Se o sonho deste homem se tornar realidade, um dia o mundo inteiro vai...

Bater uma bola por cima de uma mesa redonda???

O que ele passou 20 e tal anos a sonhar, aquilo que o fez sacrificar casa, emprego e tudo, é um jogo de mesa com uma bola, uma espécie de ping pong em miniatura jogado com as mãos!



Bom, pelo menos já tem um nome para a coisa, "Bulletball" e entretanto já conseguiu abrir um site a vender as bolas e as mesas redondas todas finórias, com palavreado a proclamar os supostos benefícios para a saúde e a tentar fazer-nos acreditar que isto é o melhor desporto alguma vez inventado à face da terra.

Eu juro que tentei, mas não consigo parar de achar que este drama é estranhamente engraçado, tudo isto, esta luta, este género de história que normalmente vemos para coisas como lutas politicas, curas de doenças terríveis, fundação de fortunas, posta ao serviço da causa de dar palmadas numa bola! Espero que no final o pobre diabo pelo menos faça algum dinheiro disto para acabar a viver com um tecto por cima da cabeça em vez de num carro.

Podem rir deste homem, mas se ele conseguir, um dia o mundo vai...

*pequena pausa dramática*

Jogar à bola numa mesa redonda!

E depois de escrever isto fiquei com a impressão que para além das "causas" com aspecto impressionante que aparecem nas revistas, nos livros e nos filmes lamechas "baseados em histórias verídicas", há uma multidão de excêntricos a trabalhar e a sonhar com as suas ideias pouco dramáticas e não importantes.

Boa sorte para eles...

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Eu quero!

Gosto de ouvir falar de invenções e engenhocas, é bom saber que alguém fez algo de positivo, mesmo que não seja terrivelmente útil. E aqui está uma fabulosa...



O peixe voador telecomandado!

Um balão com o formado apropriado, motores eléctricos, controlo remoto, e temos horas de divertimento à nossa espera. Enquanto a maior parte das pessoas tenta distrair as visitas com as fotos das férias na praia dos tomates nós apresentamos o nosso tubarão voador, não há volta a dar, é uma ideia de génio como deve ser!

Eu quero uma coisa destas, ponto final, parágrafo.

domingo, 14 de agosto de 2011

De volta das terras Croatas

Já cá estou outra vez, de volta de mais uma viagem de verão, desta vez à Croácia, com espreitadelas à Eslovénia, Bósnia e Montenegro.

Por mais ou menos uma semana o mundo fez uma pausa e andei a conhecer uma terra de montanhas à beira mar, belas paisagens e muitos quilómetros para fazer entre os nossos destinos na terra dos inventores da gravata.

E coisas para ver, comer e ouvir nesses destinos, monumentos, cidades com escada para o mar, explicações da cultura local em "Portinhol", vendedores de massarocas de milho por todo o lado, parques naturais com cascatas maravilhosas, chocolate com sal do adriático, órgãos tocados pelas ondas, bazar Bósnio perto da mesquita, montes de Strudels, vidro Romano, viveiros de mexilhão famoso mas anão, capital Montenegrina ultra-compacta com políticos altos, palácio do Diocleciano transformado em cidade medieval.

E recordações, e fotos...

https://picasaweb.google.com/Paulo.Alexandre.Vicente/Croacia

É uma bela terra para visitar no verão, pode não ter praias de areia branca, preta, ou às pintas (pelo menos que eu visse), mas com natureza, cidade e mar a um ou dois passos uns dos outros, quem precisa delas?

E agora de volta ao nosso cantinho que por acaso também fica à beira mar...

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Tentando aprender com os livros de auto ajuda

No outro dia fiz uma passagem rápida pela Fnac e calhou olhar para a secção dos livros de auto ajuda. Até agora pareciam-me sempre uma bela treta, mas desta vez aprendi qualquer coisa com um, e sem precisar de abrir o livro sequer!

Explicando melhor, reparei na capa de um livro onde aparecia um tipo com um ar um pouco estranho, olhando com mais atenção vejo que o tipo não tem nem braços nem pernas, é uma cabeça num corpo, mas todo sorridente...

Pegando no livro e virando para ler o resumo, descubro que é suposto contar como o tipo da capa passou de uma infância lixada para uma vida fantasticamente boa apesar de não ter membros, é um daqueles livros "se ele consegue se feliz por que é que tu não consegues?".

E é uma boa pergunta, porque é que eu e muitos outros andamos aqui cansados, a ver a economia piorar todos os dias, a pensar que isto não vai acabar bem e se calhar quando chegarmos a velhos esticamos o pernil sem ninguém saber e somos devorados pelo gato, apesar de termos os nossos braços e pernas?

Porque é que não andamos todos sorridentes e fotogénicos, como ele?

Fotogénicos...

Aí está a resposta!

Aquele tipo foi um sortudo, teve um problema que lhe deu uma infância realmente lixada, mas que ao mesmo tempo não lhe estragou a fotogenia, é diferente do resto da "manada", mas diferente de uma forma "vendável", de uma forma que faz as pessoas comprar livros, ver filmes e assistir a palestras, é dinheiro garantido.

Eu não consigo, nós não conseguimos, porque não somos ele, não temos aquela combinação improvável de um problema impressionante e cara de capa de livro. Temos problemas comuns, ninguém vai comprar um livro para saber como temos tendência para nos esquecer dos aniversários ou como nos sentimos em baixo depois de uma discussão.

E certamente que ninguém vai querer por a minha cara, nada de especial que até dói, num livro!

Por isso temos de nos aguentar com as nossas dores de cabeça de tipo comum, que não nos trazem um tostão furado, por nós próprios. São reais o suficiente para nos incomodar mas pequenas o suficiente para não merecer atenção do mundo.

E assim já aprendi algumas coisas...

Primeiro, ter algo para chamar a atenção é o que importa, há dinheiro à espera de quem pode pôr uma história nos livros, nas revistas, na televisão.

Segundo, hoje em dia tudo pode ser vendido, mas é preciso poder dar um embrulho "bonitinho" à coisa. Se o problema é incomum o suficiente para dar uma boa história ou acontece a alguém famoso o suficiente é dinheiro a entrar.

E finalmente, às vezes as respostas às perguntas são as mais simples, ele consegue ser todo sorridente simplesmente porque é ele, porque é uma oportunidade de negócio em carne e osso.

sábado, 23 de julho de 2011

Batalha naval - o filme

Estava a ler uma discussão sobre uma coisa qualquer num fórum quando reparei que alguém falava de um filme chamado "Battleship", está a ser filmado, custa uns belos milhões de dólares, um nome famoso ou dois, até aqui ainda não tinha notado nada de estranho mas...

Um bocadinho mais à frente alguém diz que basear um filme de 200 milhões num jogo é um absurdo, espera aí, um jogo?

Bem, "Battleship", para além de querer dizer "couraçado" também é o nome da "batalha naval", aquela coisa que jogávamos num minuto no intervalo das aulas com lápis e papel quadriculado.

Muito bem, digo eu, mas de certeza que ninguém vai pensar que isto é material para um filme, estarão a gozar? Ou será um daqueles filmes terrivelmente "cerebrais", como alguns dos nossos realizadores fazem, com as pessoas a tecer filosofias rebuscadas enquanto jogam? Mas nesse caso não lhe davam milhões de dólares...

Uns minutos e uma pesquisa no Google depois, e a minha alma está parva! O filme existe mesmo, tem um orçamento milionário e é mesmo suposto ser o filme do jogo.

Alguém olhou para aqueles quadradinhos, os tiros a aterrar na água, os submarinos e porta-aviões imaginários a ir ao fundo, e viu ali uma história para um filme com a marinha a combater uma invasão de extraterrestres misteriosos.

E convenceu um estúdio a gastar 200 milhões de dólares nisso, o filme da batalha naval, eu dizia que o mundo está louco, mas já tenho a certeza disso há muito tempo...

http://www.imdb.com/title/tt1440129/

domingo, 17 de julho de 2011

Mas que raio de nome

Passámos a semana com as noticias cheias de cortes de rating e medos económicos, corta-se o rating dos países e dos bancos, corta-se quer o resultado dos testes e das experiências seja bom ou não, pânico, medo, desastre, estamos perdidos, condenados, etc.

E no meio destas noticias de desgraça vem sempre o mesmo nome... ...Moody's?

Desculpem, mas que raio de nome é este para um profeta do apocalipse? Um destruidor de países?

Decidiram ir além de prever o grande desastre e apressar a chegada dele, deitar lenha para a fogueira, fazer parte da destruição das economias, ótimo, é a escolha deles.

Mas não seria boa ideia mudar o nome antes disso? Algo adequado, que signifique terror, o fim, destruição, ou pelo menos outra coisa que não "Moody's".

Imaginem as pessoas depois do colapso a contar histórias à volta da fogueira, "Veio a grande loucura e o Moody era o seu profeta", imaginem os livros de história daqui a um século a contar como uma agência chamada Moody's destruiu a sociedade e mudou o mundo para sempre.

Ridículo, não é?

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Objectos Voadores!

Vou escrevendo sobre coisas que andam, rolam, rastejam, ficam paradas, são imateriais, ou então que voam, como estas duas agora.

A primeira são os novos vizinhos, tipos porreiros, que não gritam, não põem música alta, não ocupam espaço a estacionar, nem trazem cãozinho para fazer o serviço à frente do meu portão. São só um bocado peludos e gostam de dormir o dia todo para sair ao pôr do sol...

Tenho um bando de morcegos (bom, pelo menos uns 3) por aqui! É preciso olhar para o lugar certo quando o sol está a pôr, e lá estão eles a voar cheios de energia, e se não me engano até hão de comer o raio dos mosquitos, bravo, bem vindos e espero que tenham vindo para ficar.

A segunda foi o festival aéreo no Domingo, ali à beira mar, F16s e Alouette da força aérea, patrulhas acrobáticas, equipa de pára-quedistas do exército a aterrar na areia, esta moça, espanhóis malucos de helicóptero, bravo! :)

https://picasaweb.google.com/Paulo.Alexandre.Vicente/FestivalAereo2011

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Remédio contra a crise!

As agências de rating lixam-nos mais uma vez, medidas de austeridade, sacrifícios, cortes, nada parece adiantar, vamos directos ao fundo num mundo cada vez mais lixado, parece que não há remédio que nos valha...

A não ser que alguém apareça com uma uma invenção engenhosa como por exemplo...

Uma impressora de chocolate! Assim como uma impressora normal imprime texto num papel ela desenha formas de chocolate numa superfície plana, faz-se um modelo da ponte 25 de Abril no computador, por exemplo, e ela trata de depositar camada em cima de camada, como aqueles puzzles 3D, até chegar ao resultado final e delicioso.

Como não se despeja o chocolate em formas ou algo do género, tudo é possível (ou pelo menos muito mais), é preciso é imaginação e desenhar bem o que se quer, com a vantagem de, ao contrário das obras de arte em pedra ou outros materiais não saborosos, as experiências falhadas poderem ser rapidamente tratadas sem problema, mmmmmmmmmm...

E aqui está algo de que todos precisamos urgentemente nestes dias, fazia duas coisas extremamente importantes para nos ajudar com esta crise.

Primeiro, levantava o moral, nada como dar cabo de um Coelho ou de uma Merkel bem saborosos para nos dar o animo para continuar mais um dia.

Segundo, cada cêntimo gasto aqui é um cêntimo que nos beneficia em vez de ser sugado para apaziguar os deuses da finança. Eu já ouvi falar muitas vezes em fazer as pessoas poupar e viver dentro das nossas possibilidades, mas com o governo a correr logo directo para o nosso bolso parece que vamos estar a poupar para lhe encher a barriga...

As coisas não seriam tão más se eles tivessem dado um sinal de que o nosso mealheiro não vai ser a primeira paragem para alimentar a "máquina", mas infelizmente não foi assim, por isso toca a dar forte e feio nesse chocolate enquanto o Coelho mau não vem.

http://www.bbc.co.uk/news/technology-14030720

terça-feira, 28 de junho de 2011

??????

??????

Macacos me mordam...

Mas que raio?

Já sei deste vídeo há uns tempos, é engraçado, sim senhor, mas que de que espécie de cabeça retorcida é que terá saído esta ideia?

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Sobre rodas!

Hoje, algo de novo, depois de anos a atravessar a ponte Vasco da Gama a caminhar experimentei fazer o caminho sobre rodas, de bicicleta, e aqui fica o que aprendi na minha primeira travessia de bicicleta:

1 - Andar de bicicleta não custa nada, depois do primeiro impulso começamos a rolar e lá vamos nós, em frente! O problema é o contrário, como parar inteiro (e antes de bater em alguma coisa no caminho) depois de começar a rolar.

2 - As descidas são divertidas, velocidade, sentir o ar fresco, descansar as pernas, alguém é capaz de organizar um passeio sempre a descer, por favor?

3 - Aquelas mochilas com o depósito de água e tubo servem não só para beber sem parar mas também para saber quando precisamos de beber, quando temos sede o suficiente para aquele gosto a tubo de plástico parecer uma boa ideia é porque precisamos mesmo de água.

4 - O capacete vai parecer sempre um bocado parvo nas fotos, é inevitável, algo fundamental como a lei da gravidade, um dia algum cientista há de publicar uma teoria a explicar como os capacetes de ciclista distorcem os campos fotogénicos, por isso enfiem o bicho na cabeça, apertem as correias e não se preocupem mais com isso.

E por falar em fotos...

https://picasaweb.google.com/Paulo.Alexandre.Vicente/BikeTour

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Agora, isto sim é que é fantástico!

Estou espantado, maravilhado, siderado, mesmerizado!(e se este último "ado" não era uma palavra, passa a ser agora, isto é uma daquelas ocasiões realmente especiais)
Isto sim, é impressionante, ainda mais do que aquela vez em que um vídeo de uma capivara com antenas a comer gelado e a andar de escorrega, é daquelas coisas de génio, de cientista louco.

Daquelas coisas que nos fazem ficar a olhar como Turcos para o Ronaldo (e pelos vistos aquilo para eles foi mesmo impressionante, até assusta, se continua assim daqui uns anos ainda tempos numa nova religião, o "Ronaldismo"?), que nos faz ficar de boca aberta quando o conhecimento do que estamos ver faz efeito no nosso cérebro.

Bom, mas o que é que é esta coisa afinal? Imaginem esculturas, criaturas feitas de tubos de plástico, o inventor gostava de as ver em movimento, por isso dá-lhes pernas para andar, mas o movimento precisa de uma fonte de energia, e por isso ele junta hélices, velas.

Um autêntico cientista louco, em carne e osso.



quinta-feira, 16 de junho de 2011

Entrada triunfal no WC

Trabalhar para uma empresa instalada nas torres do Colombo tem os seus momentos divertidos, lidar com o sistema "inteligente" que nos escolhe um elevador depois de marcarmos o andar na recepção pode tornar a chegada ao trabalho numa pequena aventura, "Vamos quantos andares esta coisa consegue acumular, e pessoas enlatar, no mesmo elevador" sempre ajuda a tornar o dia menos monótono...

Mas hoje o momento divertido do dia foi oferecido pelo sistema de música ambiente, que se encarrega de nos dar música enquanto nos "divertimos" com os elevadores (supostamente) inteligentes. Esse funciona lindamente, sempre a tocar na zona dos elevadores, e por alguma razão estranha, nas casas de banho.

Lá estou eu então, a entrar na casa de banho, quando reparo que ele está a começar uma música, e de tantas músicas que podiam acompanhar a minha entrada ele começou a tocar isto:



Caro sistema de música ambiente, eu até fiquei lisonjeado, mas não será um pouco excessivo para uma simples ida ao WC?

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Eu quero ser um Cavaco

Bem, aqui estamos nós no grande fim de semana, com bons momentos e maus momentos (cortesia aqui do eterno desastrado), e um espantoso feito do nosso presidente que nos deixou de boca aberta.

Há bastante tempo, tivemos um primeiro ministro chamado Aníbal Cavaco Silva durante uma série de anos e nessa altura, entre outras coisas, entrámos na União Europeia. As fronteiras foram desaparecendo e passámos a viver numa Europa onde o que usamos e comemos pode vir de qualquer país.

Era preciso dizer adeus a bocados da nossa agricultura, pescas, indústrias, se era mais conveniente para a Europa que os pepinos para a nossa salada fossem produzidos em França, então eles passavam a vir de França. Supostamente estávamos numa Europa unida onde tudo circulava e já não fazia sentido o apego às hortas aqui do sitio. Se havia algum sitio lá fora que fizesse um pouco melhor ou tivesse mais influência, então adeus.

Ok, andando uns anos para a frente e o presente, o primeiro ministro é presidente e faz um discurso, e diz com um ar perfeitamente sério que a agricultura está mal, que é preciso regressar aos campos e ao interior.

Não, ele não disse que errou, nem nada desse género, simplesmente falou como se os anos passados nunca tivessem existido.

Uma pessoa honesta admitia a mudança de rumo, e se calhar o erro, um mentiroso culpava outro pelas decisões anteriores, mas ele vai para além disso, não admite a realidade como o honesto, não a distorce como o mentiroso, simplesmente deixa-a para trás e faz o que quer.

Raios me partam, mas eu gostava de ter este poder, decidir que quero acordar no mundo que mais me convém e pronto, lá se foi o passado, *puff*, sem mais problemas, isso é que era...

sexta-feira, 3 de junho de 2011

O que aprendi com o estudo da OMS

Há algum tempo apareceu uma vaga de noticias a apregoar que a OMS tinha feito um estudo que mostrava que os telemóveis podiam provocar o cancro, fiquei curioso e fui ver o que havia por detrás disso. E foi muito instrutivo, olhando para o estudo original e o tratamento que os media lhe deram aprendi que:

Primeiro, todos gostam de citar os peritos e os estudos mas ninguém liga muito ao eles realmente dizem. Os cientistas afadigam-se a estudar e a medir para descobrir indícios fracos de que o uso do telemóvel pode, talvez, possivelmente, ter um efeito no risco de contrair um certo tipo de cancro. Os media pegam nessas conclusões e correm a publicar que os telemóveis são um risco, as reservas dos cientistas são atiradas borda fora e os números que parecem mais interessantes são arrancados para serem exibidos fora do contexto.

Segundo, com um pequeno incentivo todo o bicho careta à face da terra é capaz de armar em "perito" de algo de que não percebe um boi com o maior descaramento. Lendo os comentários às noticias apanhamos logo "doutores da mula ruça" a proclamar como já sabiam que os telemóveis provocavam o cancro porque sentiam a pele quente ou dores de cabeça ou conheciam uma pessoa que teve cancro num lugar onde encostava o aparelho.

Das duas uma, ou há por aí muitos génios sobre-humanos que encontraram forma de relacionar o cancro e a temperatura da pele ou entender a causa de uma doença a partir de um único caso, e estranhamente não parecem interessados em revolucionar a medicina e ganhar um Nobel ou dois em vez de andar pela net. Ou há muita gente que aproveita estas ocasiões para se gabar e se armar em grande com o maior descaramento.

Terceiro, há um lado bom em tudo, o alarmismo dos media pode parecer chato, mas quem sabe acaba com a malta a falar no meio dos filmes? Toca a fazer figas...

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Partidinhos

Vamos a caminho de eleições por estes lados, os partidos semeiam folhetos e cartazes, vamos todos votar para trocar um bando de sacanas corruptos (PS) por outro (PSD), pelo assim parece, a não ser que sejamos tolos ao ponto de já nem mudarmos de vigaristas de vez em quando.

E basicamente é isto, nas eleições de cá ganha sempre um de dois partidos, agora é o que tem D, na próxima é o que não tem D, e mais atrás nos resultados andam os comunistas e o Paulinho das feiras que não ganham mas arranjam uns deputados.

E depois, para além deles, temos o estranho mundo dos partidinhos, partidos monárquicos, dos animais, da nova democracia, humanistas, da terra, a comparar o Alberto João Jardim ao Hitler e a fazer outras acrobacias eleitorais.

Mais estranho ainda do que as campanhas e os tempos de antena deles, é facto de ali estarem, dividem sempre 1 ou 3% dos votos entre eles, provavelmente votam neles a família dos candidatos e os amigos deles que não estavam com vontade de ir à praia.

Todos os anos lá estão aqueles malucos, será que percebem que não têm maneira de fazer diferença ou pensam que vivem num mundo paralelo onde o país está prestes a voltar-se para o lado deles?

Tenho a sensação engraçada que quando chegarem os resultados eles vão estar lá nas suas "sedes", no café central ou no escritóriozito alugado na rua da betesga para festejar a sua fatia dos 2% e fazer um discurso sobre como mais 3 votos os aproximam da vitória inevitável que há de chegar um dia.

Bem, eles que se entendam, os pequenos e os grandes, tenho outras coisas em que pensar, uma pessoa conhecida está a melhorar de uns problemas espinhosos e isso sim é que são noticias importantes.

terça-feira, 24 de maio de 2011

O império depuralinador

Às vezes apanho alguns minutos de rádio de manhã, e sempre que passa publicidade eles estão lá, nunca falham, são os anúncios a uma coisa supostamente dietética chamada "Depuralina".

E tenho de lhes tirar o chapéu, são irritantes e bastante parvos, é verdade, mas são uma bela peça de propaganda ao estilo "Ditadura feroz".

Não há espaço para talvez nem nuances, o cidadão tem de tomar a sua dose do "produto", não deve tomar se quer emagrecer ou se sente mal ou tomar só um pouco, as ordens são para tomar sem "ses" todos os dias.

E o próprio produto é apresentado como um bem absoluto, destrói os "resíduos" que supostamente ameaçam a "pureza" do corpo, não há contra-indicações nem nada do género, o produto é bom, ponto final. Todos têm de se submeter ao produto, nem sequer há espaço para a mínima possibilidade ou razão para a pessoa não achar boa ideia tomar.

Enfim, é como a propaganda com que alimentam o povo na Coreia do Norte, a eles pedem que acreditem no "querido líder" que é o melhor ser humano a pisar a face desta humilde e indigna terra com os seus soberbos pés, a nós pedem que acreditemos no "querido produto" que nos protege do mal.

Bom, já chega de escrever sobre isto, se os donos daquela coisa estão a ganhar dinheiro para bombardear o país com publicidade da aquela maneira, então qualquer dia ainda têm o suficiente para comprar um exército e tomar conta disto. Montam um KGBzinho, começam com a caça aos dissidentes, varrem a net e estou tramado, escrever tantas dúvidas sobre o "querido produto" deve dar direito a uns 25 anos num campo de trabalhos forçados pelo menos!

Engraçado, escrevi o parágrafo anterior a brincar, mas voltando a olhar para ele, tenho a sensação estranha de ter adivinhado a fantasia secreta dos donos daquilo...

domingo, 22 de maio de 2011

Ovo cliclista surrealista!

Tropecei nisto por acaso há alguns dias atrás e tenho pensado em escrever sobre ele aqui no blog, mas como raio é que o vou descrever?

Não tem objectivo que se veja, por isso não é bem um jogo, é um "coiso" interactivo, onde aparece um ovo a pedalar que controlamos com o rato para interagir com coisas surrealistas ...

Bolotas! Não consigo mesmo explicar isto sem parecer um sonho daqueles que nos deixam a pensar "Mas que raio foi aquilo!?!" depois de acordar, só mesmo mostrando:



terça-feira, 17 de maio de 2011

Publicidade Recursiva

Vou andando a caminho de casa e reparo num táxi que traz publicidade no tejadilho, normalmente não é nada de invulgar, mas desta vez é um anúncio a fazer publicidade a publicidade nos táxis.

Bom, pensando bem, nem deve ser assim tão invulgar, quem faz publicidade vai querer atrair quem quer colocar anúncios, o que quer dizer publicidade à publicidade. Coloque o seu anúncio aqui, visto por 30000 pessoas todos os dias, etc, etc.

E depois se calhar, publicidade à publicidade à publicidade? Cartazes a anunciar a melhor empresa para publicitar os seus serviços publicitários? A empresa A faz um anúncio na tv para a empresa B, que concebe um anúncio nos jornais para a empresa C, que imprime um folheto para a empresa D, que cola um cartaz para a empresa E, que grava um anúncio na rádio para a empresa F, que fabrica varetas de chapéu de chuva altamente avançadas?

Por mais tolo que pareça, tenho a sensação que é só uma questão de tempo...

sábado, 14 de maio de 2011

Uma forma engraçada de dizer as coisas...

Vinha hoje no metro a caminho de casa quando reparei num cartaz, "Mexa-se pela esclorose", se não me engano.

Este é um daqueles pequenos mistérios da vida, às vezes quando alguém fala de corridas\espetáculos\dias mundiais\etc que tentam ajudar ou sensibilizar o público para um problema qualquer, chama à iniciativa "qualquer coisa pelo problema" ou o "dia do problema", a "Marcha pela fome em África" ou o "Dia do cancro da mama", por exemplo.

E vem-me sempre a mesma ideia à cabeça, não querias dizer antes a "Marcha contra a fome em África"? Levando as palavras à letra, o "Dia do cancro" parece que vai promover o cancro, com folhetos e amostras grátis.

Engraçado como a nossa maneira de falar ganha um significado surreal quando lhe aplicamos a lógica.

E já agora, se alguém me perguntar como vai a constipação, ela está a piorar, e eu pelo contrário, a melhorar...

segunda-feira, 9 de maio de 2011

A crise está mesmo muito má

Finalmente apanharam o Bin Laden, já há alguns dias atrás, está morto e enterrado, bom, na verdade foi alimentar os peixinhos mas na prática vai dar ao mesmo.

E conforme foram passando os dias desde a morte, foram aparecendo fotos na web e nos jornais, fotos dele morto não há porque os Americanos não estou virados para isso, mas há fotos de bocados de helicóptero americano e da casa onde estava escondido.

E é a casa que me pôs a pensar, supostamente era um esconderijo fortificado que valia um balúrdio...

Mas olhando para as fotos que apareceram, fico com a impressão que, apesar do sitio até pode ser fortificado, é uma espelunca. Não melhorar aquilo até podia ser uma estratégia para não atrair a atenção, mas como ele colocou um muro altíssimo à volta e guardas armados acho que não estava a tentar ser discreto.

Mas que raio de crise, isto está tão mau que nem um líder terrorista que põe nervosa uma super-potência e tem seguidores pelo mundo fora e consegue dar uma pintura decente no esconderijo, estamos mesmo, mas mesmo à rasca!

sábado, 7 de maio de 2011

Condutores acidentalmente fantásticos

Finalmente a Sexta acabou, fim de semana aqui vou eu! Apanho o comboio, pego no carro para os 5 minutos do costume entre o estacionamento e casa, mas hoje temos algo diferente num cruzamento, dois carros parados com chapa amolgada enquanto os condutores e os passageiros colocam triângulos, falam e olham com ar pensativo, provavelmente a imaginar como se vão arranjar a andar de autocarro por uns dias.

Felizmente parece que ninguém fico ferido, e olhando com mais atenção, parece que conseguiram acertar no ângulo exacto para fazer uma bela mossa sem se magoarem.

Melhor do que isso, bastava que um deles tivesse passado alguns minutos mais tarde ou mais cedo para não se tocarem ou até nem se verem, mas não, de todas as alturas em que podiam ter passado por aquele cruzamento calhou aquela.

Podem dizer que aqui neste canto da Europa somos maus condutores, mas eu acho que uma sincronização tão acertada para cada um tocar no ponto adequado do outro entre dois estranhos que nunca se viram e sem comunicarem é quase do outro mundo. Podiam pegar em dois profissionais, dar um rádio a cada um, e ainda tinham uma dificuldade dos diabos para fazer isto.

Somos condutores acidentalmente fantásticos, ou então, apenas temos um raio de um azar de vez em quando...

sábado, 30 de abril de 2011

No coração da tempestade!

Trabalhar numa empresa com escritório nas torres do Colombo tem as suas vantagens com o metro e as lojas à porta, mas desta vez tive direito a algo realmente especial, um lugar para ver a grande tempestade de granizo de perto, abrigado e seco, fantástico!

Começou por olhar para a janela e reparar que estava a chover, mais um bocado e chovia bem, mesmo bem, fui até à janela e afinal era granizo, que parecia não parar de cair. E caiu até cobrir ruas e carros, a imitar um nevão, imagino que para quem estivesse lá fora fosse bastante assustador, mas ali no 10º andar tivemos uma vista magnifica, secos e confortáveis com a tempestade ali do outro do vidro a poucos centímetros.

E mais ainda, enquanto descia até à porta do edifício para tirar uma foto mais de perto fomos atingidos por um raio que fez disparar o sistema de alarme. Tive direito a uma demonstração do edifício a colocar-se em modo de emergência automaticamente, sirene aos berros, elevadores a descer até ao rés do chão e a abrir as portas, os leitores de cartões na entrada a abrir as cancelas, tudo a preparar-se para a evacuação.

Fantástico, e até consegui apanhar um pouco de gelo na mão, moral da história, mesmo que caiam raios, chuva, gelo, não há que ter medo, podemos sempre desafiar a tempestade...

Basta estar do lado certo de um vidro resistente e debaixo de um telhado sólido, e já agora com uma cadeira confortável...





quinta-feira, 28 de abril de 2011

O supermercado robot

Nova Zelândia, o dono de um supermercado instala um sistema de segurança fantástico, entre outras coisas abre a loja automaticamente, acabaram-se os tempos em que era preciso dar à chave manualmente, agora as portas abrem e as luzes acendem à hora marcada com precisão eletrónica.

Porreiro, só que chegou um feriado e por alguma razão o computador não o registou, por isso como é Sexta-Feira e são horas, toca a abrir! Não há humanos por perto, mas quem precisa desses fracotes imprecisos de carne e osso? Em frente!

E começa um dia de compras inesperado, não há ninguém a vigiar e algumas pessoas aproveitam para levar algo de graça, mas outras, por incrível que pareça insistem em usar a caixa automática, outro computador que se desenrasca sem humanos.

E no fim o dono até aproveita a publicidade grátis, uns ajustes aqui e ali e temos o supermercado robot à porta, rápido, eficaz e sempre disponível. Que tal descobrir que a pasta de dentes está a acabar às 3 da manhã de Domingo e saber que podemos ir tratar disso sem problemas?

O único senão poderão ser alguns clientes mais problemáticos ou desonestos que encontrem maneira de trocar as voltas ao sistema, mas podemos sempre inventar o cliente robot...

http://www.stuff.co.nz/waikato-times/news/4924352/Pak-n-Save-owner-sees-a-good-side

domingo, 24 de abril de 2011

Está realmente tudo doido

Às vezes oiço alguém dizer "Mas, está tudo doido?" e apetece-me responder "Sim!", temos de encarar a verdade, o mundo é um grande manicómio com os doentes a correr à solta.

Alguém duvida disso? Então que olhe para as eleições que aí vêm, todos gemem porque há crise, estamos arruinados, somos roubados por ladrões vestidos com pele de político, e imaginem em quem as pessoas vão votar? Uma boa parte vota no partido que passou os últimos anos aos comandos desta porcaria, se calhar até o suficiente para eles ganharem, e outra boa parte vai para um partido que é praticamente a mesma coisa mas com mais uma letra no fim do nome.

Mudar? Qual mudar, qual carapuça, em frente no mesmo rumo e mais do mesmo, se faz favor!

Ok, depois de olhar para isto pensamos que se calhar é uma questão aqui deste canto, se calhar algo na água ou no ar. Mas basta espreitar o resto do mundo para perder essa ilusão.

Nas Américas, na Florida, luta-se contra o desemprego, e como se luta? Com uma campanha para motivar os desempregados onde cada um recebe uma capa de super-herói. Nada como um bom vídeo com o director da agência de emprego a fazer de super-homem e uma capa vermelha para arranjar um bom emprego. Formação, mais oportunidades? Não senhora, aquilo de que a malta precisa é de imaginar-se com super-poderes e zás, têm logo ali trabalho.

Mas, está tudo doido? Claro que está, tem estado há bastante tempo, provavelmente vai continuar a estar.

sábado, 16 de abril de 2011

Para ler depois de 2020

Mais uma semana e aqui estou eu a pensar no que escrever... E que tal escrever sobre que tem acontecido à minha volta nestes últimos dias para o meu eu daqui a alguns anos poder ler e recordar?

Bem, se estás a ler isto em 2020 e qualquer coisa, ficas a saber que neste Abril vivias dias estranhos, o próprio tempo parecia fora de sintonia como se alguém lá nas nuvens se tivesse enganado e agendado um verão em vez da primavera.

Mas não é só o tempo que parece fora do normal, é o mundo, dizem que o país está em crise e que não temos onde cair mortos, o líder que andou a mandar nisto há anos disse que já não tem condições e para governar e pediu eleições. Achas que ele ficou cansado ou desanimado com o desastre, que pediu desculpa por isso ter ido tudo para as urtigas enquanto ele estava aos comandos? Qual desculpa, qual carapuça, continua convencido que é um deus, reuniu os seguidores para o aclamarem como se fosse uma espécie de Faraó ou tirano da Coreia do Norte e parte todo feliz para as eleições.

Onde terá ele arranjado gente para gritar daquela maneira? A credibilidade de tudo o que é político bateu no fundo há tempos, fez um buraco e continuou a cair, de onde vem aquele entusiasmo? Serão marcianos que acabaram de sair do disco voador e ainda não conhecem este canto do mundo, ou terão capangas à porta para espevitar os menos animados com a promessa de uma carga de porrada, ou álcool para todos, ou promessas de tachos e subsídios? Mistério...

É também o tempo da vinda do FMI, os ogres economistas que comem uma criancinha ao pequeno almoço todos os dias antes de irem trabalhar a endireitar a economia. Não sei se serão realmente canibais mas cheira-me que pelo menos vão-nos receitar uma dose de austeridade para recuperar da crise, e isso já é bastante mau porque esse género de coisas acaba por se pago por toda a gente menos os mais ricos, quem pode pagar mais usar o dinheiro para escapar, raio de mundo ao contrário.

E mais importante do que isto tudo, alguém que pensava que tinha ido embora mudou de ideias e voltou, ou talvez nunca tenha realmente ido embora apesar das aparências. Dificuldades, discussões e mal entendidos são simplesmente esquecidos porque quando temos aqueles momentos em que as coisas correm bem sinto-me uns anos mais novo e suspeito que do outro lado passa-se a mesma coisa.

Se ela estiver ao teu lado quando leres isto dá-lhe um beijo por mim, se não, então tira um minuto para a recordar, porque ela deu tornou estes dias estranhos mais alegres e deu o empurrãozinho necessário para continuares a funcionar nestes tempos.

domingo, 10 de abril de 2011

Quando chegar a velho também quero ser assim

Vi isto na web há alguns dias, a Arménia ficou sem Internet durante 5 horas, normalmente a rede continua a funcionar mais ou menos bem haja terramoto, guerra, furacão, nevão, é preciso destruir muitos computadores e muitos cabos para parar as coisas.

Ou talvez não, pode ser possível cortando o cabo certo na altura certa, um desastre natural destrói ao acaso e não vai acertar, por isso é preciso algo com inteligência para apontar ao cabo, algo como...

Uma idosa da Geórgia com 75 anos, uma pá e planos para fazer algum dinheiro a roubar cobre, normalmente o cobre está em fios, cabos e coisas do género, por isso toca a cavar e pronto! Lá se foi a Internet da Arménia!

Quando chegar a velho gostava de não precisar de roubar cobre, mas por outro lado, ter energia para ameaçar a Internet de um país inteiro parece fantástico!

http://www.guardian.co.uk/world/2011/apr/06/georgian-woman-cuts-web-access

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Feliz dia do livro comestível!

Aqui estamos no 1º de Abril, com piadas e mentiras à solta, e com o dia quase a acabar fico a pensar no que escrever, que piada inventar para marcar a data?

Bem, não vou pensar mais porque a resposta acaba de chegar, vou escrever a verdade que é ainda mais impressionante! A mentira e a piada têm de parecer plausíveis mas a realidade não tem essas restrições, ela simplesmente existe e tem a última palavra.

Por isso, feliz dia do livro comestível a todos! Hoje é um dia de festivais e concursos por todo o mundo, todos com o mesmo espírito, mostrar criações deliciosas inspiradas pela literatura.



E por hoje já chega, vamos é mas é entrar no espírito da data e enfiar os dentes num bom livro!

domingo, 27 de março de 2011

Tempos difícieis

Aqui estou eu, sozinho outra vez. Quando temos um lado desastrado precisamos de alguém que se pode rir quando as coisas fogem do que foi planeado, que acha graça aos hábitos um pouco fora do normal, que é capaz de nos chamar "tonto" num tom carinhoso, que gosta de estar connosco apesar dos nossos defeitos.

Pensava que tinha encontrado alguém assim, mas afinal não era verdade, tinha encontrado o outro tipo de pessoa, mais comum, que se irrita quando as coisas não pelo caminho que imaginava, que nos chama "parvo" num tom agressivo.

Não sei se ela mudou a maneira de ser desde os primeiros tempos ou se estava a disfarçar ao principio, mas o resultado final foi o mesmo, uma bela discussão e adeus.

Sou bastante mau a lidar com relações e pessoas, mas até eu sei que ficar junto de alguém que diz preto no branco que nos quer ver ir embora só vai trazer mais discussões e dores de cabeça, por isso não houve dúvidas, estava na altura de partir.

Por isso, sozinho novamente, será que alguma vez vou conseguir construir algo que dure?

sábado, 19 de março de 2011

A artilharia anti-pato

Admito que às vezes não entendo bem as pessoas, mas há um facto básico que já percebi e nunca falha, as pessoas fazem as coisas mais incríveis, nada é demasiado louco, demasiado parvo, demasiado estúpido, se algo é fisicamente possível, há um louco que já fez ou está a fazer.

Por exemplo, vamos imaginar um caçador, ele tem um lago favorito cheio de patos e apanha sempre uma série deles. Tudo parece bem, até que num belo dia ele começa a pensar se não haverá maneira mais eficiente do que dar um tiro em cada um...

Bem, quanto mais um chumbo ele conseguir pôr no ar mais patos vai apanhar com cada tiro, certamente. Por isso toca a procurar uma arma maior...

Algo que apanhe 5 de cada vez...

Ou 10...

Ou 20...

Ou algo mesmo a sério, que tal 50 com um tiro para despachar logo tudo?


E pronto, aqui está a maravilhosa "Punt gun"! Andar com este monstro ao ombro está fora de questão é claro, por isso o melhor é montar isto na proa do barco e depois é só remar para apontar:




Hoje é uma curiosidade bizarra, mas no século XIX era a ferramenta usada pelos caçadores que vendiam as penas para a industria de chapéus de senhora. Para tornar tudo ainda mais eficiente organizavam-se em pequenas frotas e depois aproximavam-se cuidadosamente do bando de patos alvo para apanhar uma boa carga logo ali.

Imaginem a cena, algures num lago Americano ou Inglês, 10 barcos carregados de artilharia aproximam-se de um bando de patos sorrateiramente, com todo o cuidado, como se os bichos fossem entrar nesta corrida ao armamento e retaliar com torpedos ou coisa parecida. Os atiradores colocam-se em posição, respiram fundo e apontam cuidadosamente, esta é uma missão vital, a industria de chapéus com penas depende do resultado deste dia...

Incrível e ao mesmo tempo completamente plausível, é aquele género de coisa demasiado bizarro para ser inventado.

domingo, 13 de março de 2011

O maravilhoso texto explicativo para analfabetos

Ok, alguém lá nas alturas do poder achou boa ideia extrair umas estatísticas do povo, onde vivem, onde trabalham, como vão para onde trabalham, onde estavam num certo dia, se já tinham nascido num certo ano, que se são ateus, cristãos ou sacrificam virgens a uma criatura tentacular que dorme numa cidade afundada nas profundezas do oceano Pacífico.

E até há multa para quem não responder, nem pensar em escapar ao grande esforço estatístico toca a preencher as caixinhas para ficarmos todos muito bem etiquetados e categorizadinhos, prontos para nos espremerem até à última gota em nome da austeridade.

Ainda não recebi o meu questionário mas já dei uma espreitadela rápida a um deles, e lá encontrei um golpe de génio. No meio daquelas perguntas todas está a perguntar à pessoa se é analfabeto, e melhor ainda, vem um pequeno texto explicativo a ajudar, "Se memorizou algumas frases e letras mas não sabe ler e escrever assinale analfabeto".

Sim, eu sei que as pessoas por detrás disto esperam que os analfabetos partilhem o "divertimento" dos impressos e perguntas abelhudas com um amigo mais instruído, mas não deixa de ser engraçado ver um texto explicativo para analfabetos.

domingo, 6 de março de 2011

Fiz porcaria outra vez...

São mais do que horas de largar isto e ir dormir mas apetece-me desabafar, tenho um grande problema, sou terrível a lidar com pessoas, relações, sentimentos e coisas do género.

E infelizmente é algo que não se pode resolver facilmente, não é um problema especifico, é um talento generalizado para tomar o caminho errado nestes assuntos. Sou uma bela porcaria, posso eventualmente mudar, mas isso passa por romper com quem sou, precisava de confiança e coragem para isso, mas como o primeiro passo é reconhecer o problema e o problema sou eu, isso vai ser muito difícil de conseguir.

E procurar ajuda não é uma opção, a família é parte do problema, amigos e potenciais relações vão querer resultados e não problemas.

É uma bela porcaria, penso que mesmo que mude vou continuar a ser "eu" no fundo, o tipo que faz uma pequena coisa bem, ou algo maior e mal e espera que os outros fiquem contentes porque "o que conta a intenção", que quando abre a boca em questões de sentimentos diz logo o que não deve, e que por isso acaba por ficar calado quando os outros esperam que diga qualquer coisa.

Mesmo assim, pensava que tinha um caminho para fora disto, passos pequenos e devagar, não falar demasiado, não arranjar conflitos e problemas, é certo que não ia conseguir uma boa parte dos meus sonhos mas era melhor do que nada.

Agora já não sei, raios me partam a mim, sei que em teoria posso ser algo positivo, só tenho de não ser "eu", ou seu eu mesmo o sou algo de bom, mas que raio de escolha.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Afinal para que é que serve esta coisa da "Europa"?

Estamos em crise, não há dinheiro, o nosso primeiro ministro parte para discutir uma solução com os nossos amigos Europeus.

Parece tudo bem, afinal estamos na (supostamente) maravilhosa União Europeia, as fronteiras estão abertas, é possível comprar e vender com a mesma moeda de Lisboa a Berlim, quando há um choque na economia é sentido em todo lado, alguns escapam melhor do que os outros mas ninguém o evita completamente, por isso, se estamos todos no mesmo barco europeu é natural que todos colaborem para resolver este problema.

Acho um pouco estranho que se fale em divida Portuguesa, Grega, Irlandesa e outras, se não há barreiras e todos usam a mesma moeda não devia existir uma grande economia europeia? Algumas regiões podem estar mais fracas do que outras, mas então não é natural que as suas finanças sejam ajudadas pelas mais fortes? Especialmente se as "fortes" prosperaram com a moeda única, quiseram uma Europa unida, agora pagam o preço necessário para a ter.

Mas mais do que isto o que me faz confusão é o Sócrates ter ido ter com a Angela Merkel, é certo que ela está à frente de um país rico e influente, e se for preciso dinheiro uma boa parte sai dos bolsos deles, mas se bem me lembro a Europa tem um parlamento e um presidente em Bruxelas que pelos vistos afinal não são tão importantes quanto a pessoa à frente da Alemanha no momento.

E por isso, quando vejo as noticias falar em Merkel e Sarkozy, fico a pensar, porque raio estamos a sustentar aquela burocracia toda em Bruxelas se as decisões passam por quem governa o país mais rico?

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

A espantosa bolacha Coreana!

É produzida na Coreia do Norte e é uma bolacha espantosa, incrível, fantástica! Bem, na verdade não faço a mínima ideia do que ela tem, mas se conseguiu pôr um ditador com este ar então deve ser realmente especial:


Ou se calhar ele está espantado por ainda haver bolachas para o povo no meio de mais uma das crises do país dele...

E fica aqui o link para mais imagens do "glorioso" líder a olhar para coisas, sempre com o seu estilo ligeiramente ridículo a fazer lembrar um vilão dos filmes de segunda:

http://kimjongillookingatthings.tumblr.com/

Infelizmente um vilão que conseguiu herdar um país real para os seus delírios, mas de qualquer forma, raios me partam se isto não é espantoso, um site dedicado a catalogar imagens do Kim Jong-Il a olhar para coisas!

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Animais selvagens em combate feroz! Choque de titãs!

Encontrei isto há bocadinho no Youtube, animais selvagens (mais ou menos, dependendo da definição de "selvagem") enfrentam-se num combate feroz! (um "feroz" muito seu e diferente do comum, mas pronto)

Ok, hoje passei por aqui e estava demasiado bem disposto para escrever porcarias sérias, se calhar devia ter escrito sobre como os Árabes descobrem as alegrias da manifestação e da caça ao politico vigarista (com mortos e feridos pelo meio mas pelo menos fazem algo para reagir ao roubo), mas hoje não, hoje ficam aqui estas terríveis "feras":

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Love was in the air

Bem, a Quarta passou e lá vamos nós a caminho do fim de semana entre greves e chuva, a vida regressa ao normal depois de um fim de semana e uma Segunda de S. Valentim onde parecia que todo o comerciante tinha jurado vender uma coisa em forma de coração a todas as pessoas deste mundo ou morrer a tentar.

E esses dias deixaram marcas, houve realmente qualquer coisa no ar...

A Nokia desatou aos beijinhos à Microsoft e lá vão as duas ver se juntas conseguem fazer concorrência aos Androids e iPhones, alguns amigos da Filandesa ficaram horrorizados e escandalizados com a união mas, pelo menos por agora, parece ser para seguir em frente.

Mais perto de nós, na nossa arena política o PSD abraça o PS com ternura e mostra o seu amor eterno correndo para o salvar de uma moção de censura, algumas pessoas achavam que não gostavam um do outro e que até seriam adversários(!?!), mas a moção é uma ocasião para mostrarem o que verdadeiramente sentem. Mas se calhar isto não devia surpreender ninguém, eles são todos farinha do mesmo saco, como poderiam alguma vez não se amarem um ao outro?

E pode parecer incrível, mas por uma vez, não me senti terrivelmente sozinho nesta altura.

Daqui a um ano vemos o que aconteceu a estas uniões e amores, por agora fico com a certeza de que que as pessoas fazem as coisas mais incríveis porque o coração bate um pouco mais depressa...

sábado, 12 de fevereiro de 2011

A maior partida de todos os tempos

Há poucos dias tivemos um aniversário que infelizmente passou despercebido, o de uma das maiores partidas de todos os tempos.

Em 1910, no Reino Unido, a Royal Navy orgulhava-se de possuir um couraçado fantástico o HMS Dreadnought, mais veloz do que os anteriores graças ao uso de turbinas no lugar de motores a vapor convencionais, mais poderoso e preciso graças ao facto da sua artilharia principal ter apenas um calibre em vez de dois ou três como nos navios anteriores (na época era necessário observar o impacto dos projécteis na água para perceber onde tinham aterrado em relação ao alvo e ir corrigindo a pontaria até acertar, ter calibres não muito diferentes uns dos outros a disparar significava ter canhões que precisavam de correcções diferentes mas que provocavam resultados muito parecidos, uma receita para uma bela dor de cabeça).

E no dia 7 de Fevereiro a sua tripulação recebeu uma mensagem inesperada, o príncipe da Etiópia pretendia visitar o navio. O aviso vinha em cima da hora mas tudo se resolveu, quando o príncipe chegou tinha a tripulação em sentido para o saudar, a banda a tocar e uma visita guiada pelo capitão.

À primeira vista tudo pareceu correr lindamente, o príncipe e os amigos gostavam da visita e da atenção, é certo que ninguém percebia nada da língua que falavam excepto o intérprete Inglês que tinha vindo com eles, mas pareciam gostar, de vez em quando diziam "Bunga bunga!" como se fosse "bom" ou "porreiro", depois de irem embora o capitão ficou satisfeito com um problema resolvido da melhor maneira...

Até chegar outra notícia, o príncipe e os amigos não eram Etíopes nem nada que se parecesse, um grupo de amigos tinha usado roupas "exóticas" improvisadas, maquilhagem, barbas falsas, uma mistura de palavras sem sentido e muito descaramento para para pregar uma partida à marinha e ganhar uma visita guiada com todas as honras!

Os autores contactaram a imprensa e fizeram correr muita tinta por uns tempos, como não tinham feito nada de ilegal a marinha teve de conformar-se e aguentar as piadas e o riso.

Algum tempo depois o verdadeiro imperador da Etiópia visitava o Reino Unido, entre outras coisas foi saudado com "Bunga bunga!" de alguns brincalhões que não tinham esquecido da grande partida.